Conferência “UN Oceans Conference 2020” – 2 a 6 junho 2020

= ADIADO (DATA A ANUNCIAR) = O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, ONU Meio Ambiente, considera a Conferência da ONU sobre Oceanos de Lisboa um dos eventos-chave marcados para 2020. As Nações Unidas vêm 2020 como um “super ano” para o meio ambiente, porque os maiores encontros internacionais “definirão o tom e a agenda da ação ambiental na próxima década”. Em Lisboa são esperados milhares de representantes de governos, ONGs, sociedade civil, academia, comunidade científica, setor privado e filantropia. A Conferência sobre Oceanos, coorganizada com o Quénia, deverá adotar uma declaração intergovernamental sobre a ação climática, fundamentada na ciência e nos compromissos voluntários dos países signatários. A meta é apoiar a implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável nº 14, sobre a Vida na Água. Em Junho de 2017, durante a primeira conferência dos oceanos da ONU na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, Ana Paula Vitorino, então Ministra do Mar, disse que Portugal pretendia organizar a segunda edição do evento, marcada para 2020. Em dezembro de 2019, o primeiro ministro António Costa disse que uma das grandes prioridades da política externa portuguesa para o próximo ano é organizar a conferência mundial sobre os oceanos no quadro das Nações Unidas” Local:  Lisboa (Em atualização) Contatos: (Em atualização)

Apresentação da obra LUGARES AZUIS

Na presença do almirante António Silva Ribeiro, do autor, Dr. Miguel Marques, do editor, almirante Henrique Alexandre da Fonseca, o historiador Alfredo Pinheiro Marques e o almirante José Bastos Saldanha apresentam-nos a nova publicação das Edições Revista de Marinha, Lugares Azuis. Preside à sessão o Eng. Aires Pereira, Presidente da Câmara Municipal da Póvoa do Varzim. O livro leva-nos à descoberta das histórias escondidas em lugares de Portugal marcados pela água doce ou salgada. O Sítio do Penedo (Porto Santo), a Praia do Norte, na Nazaré, o Caldeirão, na ilha do Corvo, e Rabo de Peixe, em São Miguel, ambos nos Açores, o Parque das Nações em Lisboa, Cascais, Esposende e o  Mar da Póvoa de Varzim, entre muitos outros. Cada lugar azul retratado encerra toda uma História marítima, cada texto tem uma relevante mensagem sobre o presente e o futuro do mar, dos lagos e dos rios. José Miguel Dantas Maio Marques, nasceu em 1975, na cidade da Póvoa de Varzim. Licenciou-se em Economia na Faculdade de Economia da Universidade do Porto. É professor no ensino superior, é autor de livros e artigos científicos sobre a economia do mar e tem sido orador em conferências internacionais de referência como são as das Nações Unidas e as da União Europeia. A sua vasta experiência nacional e internacional nos temas do mar levou a Marinha Portuguesa a convidá-lo para membro do Conselho Superior do Centro de Estudos Estratégicos da Marinha. Contacto: 919964738  

Dia Mundial do Mar

Dia Mundial do Mar

As comemorações decorrem na última semana de setembro, de acordo com a disponibilidade dos governos e das entidades envolvidas nas celebrações. O objetivo da data é chamar a atenção para a importância da segurança na navegação marítima, das indústrias marítimas para o comércio mundial e da proteção do ambiente marinho. A data foi criada em 1978 pela Organização Marítima Internacional (OMI), a agência Nações Unidas especializada na segurança da navegação e na prevenção da poluição marinha provocada por navios. Realiza-se também um evento paralelo à data anualmente, desde 2005, num país membro da OMI. Sabia que? Cerca de 80% do comércio mundial em volume e mais de 70% do comércio global por valor são transportados por mar e são manipulados por portos em todo o mundo. Sem o transporte marítimo,  não seria possível a importação e exportação de mercadorias na escala necessária para sustentar o mundo moderno. Existem mais de 50.000 navios mercantes a comercializar internacionalmente, transportando todo o tipo de carga. A frota mundial está registada em mais de 150 nações e é tripulada por mais de um milhão de trabalhadores marítimos de praticamente todas as nacionalidades